Hoje trago-vos um poema que descobri à pouco e que rapidamente se tornou um dos meus favoritos, chama-se "Ode Alla Vita" e o autor é Pablo Neruda. Continuo a lê-lo e a relê-lo e cada vez o adoro mais, e sinto que simboliza na perfeição a ideia de que há que aproveitar cada segundo e sair da zona de conforto. O original penso que seja italiano mas aqui fica a tradução.

"Ode Alla Vita

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar. Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os "is" em detrimento de um redemoinho de emoções justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar. Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade."
Se há coisa que não consigo fazer é respeitar pessoas não me respeitam. Quer dizer, só porque a pessoa está a passar um mau bocado eu tenho de aceitar faltas de respeito? Não, eu não consigo ser assim, a verdade é que cheguei ao ponto em que já não quero saber. Podem discutir comigo, podem acusar-me do que for, que já não me interessa. Na verdade, ao invés de me queixar, escrevo tudo o que tenho na cabeça numa folha de papel como forma de desabafo, já que, sempre que tentei mostrar o meu ponto de vista, a situação foi sempre assumida como uma brincadeira ou não lhe foi dada grande importância. Para essas pessoas pode não ser importante mas para mim é.
Quero ser respeitada e se isso não acontece, então também não merecem o meu esforço.



Na semana da Páscoa fui até à capital espanhola passar alguns dias. Fiquei super satisfeita, é das cidades mais fantásticas de sempre, e posso dizer que me via a viver lá um dia. Aqui ficam algumas fotos!














Este fim de semana foi altura da fazer mudanças e cortar o cabelo, foi um valente corte mas sinto-me muito mais leve e fresca. Acho que todas nós merecemos uma mudança de vez em quando.









Hoje começa a fase decisiva da época, a fase que nos poderá levar à final four e eventualmente à subida de divisão. É o inicio de uma luta para a qual temos estado a trabalhar desde o inicio desta época. Eu acredito que conseguimos, só temos de querer e lutar com todas as armas. Vamos lá! IPÊ... POR-TO!!





Escrevi isto ontem à noite e ainda estive a pensar se publicava isto ou não, mas acabei por decidir postar porque alguns de vocês podem estar na mesma situação e quero que saibam que não estão sozinhos.


Já alguma vez estiveram naquela situação em que nada parece resultar? Que por mais que tentes fazer as coisas bem tudo se vira contra ti? Tudo o que tu fazes nunca é suficiente mesmo que dês o melhor de ti? Sim, eu já passei, e estou a passar por isso mesmo. E neste momento vou contar-vos uma parte muito pessoal de mim e que me afecta diariamente, e me leva a contar os dias para que este "pesadelo" acabe. 
Estou a falar-vos do meu curso. Como alguns devem saber, e se não sabem aqui fica a informação, eu estou a estudar Gestão na faculdade de economia da universidade do Porto. 
Eu escolhi esta área porque de todas as disponíveis (com saída e que agradassem aos meus pais) esta era a menos pior. Vim numa de "vamos experimentar e ver no que dá", porque até então não sabia muito bem o que me esperava. 
Cheguei à faculdade e logo o ambiente não se encaixava comigo e nem falo das pessoas, porque tirando duas ou três, sentia-me (e ainda sinto) um peixe fora de água.
Dito isto, o processo de adaptação não foi muito fácil e ainda hoje tento suportar esta escolha da melhor maneira possível, pensando na situação num outro ponto de vista como algo positivo.
Mas há vezes em que simplesmente não dá e uma pessoa simplesmente colapsa. E sim posso dizer que já tive vários ataques de ansiedade à conta de isto tudo.
Quando só queres que isto acabe e chega a altura dos exames e por mais que estudes e te esforces parece que nada está a teu favor, esses são os piores momentos. São os momentos em que te sentes mais insignificante que um grão de areia no deserto.
Hoje estou assim, pequeníssima, insignificante. 
Tudo acaba, tudo melhora, mas até lá, continuo nesta contagem incessante contra o tempo.

Acho que é sempre necessário dar dicas, principalmente de motivação, uma vez que não é algo fácil de se conseguir. Também não prometo que estas funcionem convosco mas pelo menos não perdem nada em tentar.
Aqui estão então algumas dicas que podem resultar convosco:

1.Comprar roupa que te faça querer fazer desporto
Falo por mim, quando digo que um par de leggings novos ou uma sapatilhas super top me fazem querer usá-los o mais depressa possível. Roupa nova dá-nos sempre um pouco mais de motivação.

2.Encontrar aquilo que se adequa melhor a ti
Eu, pessoalmente, não gosto nada de ginásios e fazer desporto em casa só se for a dormir. Eu optei por me juntar a uma equipa de Voleibol e treinamos 4 vezes por semana (e temos jogos ao domingo). Procurem o tipo de desporto que se adequa melhor a vocês e à vossa rotina, se estiverem a fazer algo que não gostam vai custar-vos 1000 vezes mais.

3.Música
É muito importante ouvir musica quando se trata de um desporto muito repetitivo e monótono. Ajuda-nos a esquecer do cansaço e temos um ritmo para acompanhar durante cada exercício.

4. Torna o work out algo divertido
Procura amigos, utiliza vídeos no youtube de desporto, procura a tua paixão,olha para esta altura do dia como uma escapatória ao stress diário. Este pequeno twist faz uma grande diferença. Desta forma vais estar ansiosa por que este momento chegue em vez de estar a espera que passe.

5. Cria um horário
Reserva um tempo especifico para fazer desporto e pratica-o sempre nessa altura. Se não tiveres um horário definido vai ser mais fácil de estar sempre a adiar, e acabas por nunca o fazer.

6. Aprende a gostar
Foca-te na viagem e não no destino. Se estiveres constantemente a pensar que queres emagrecer vai custar-te muito mais do que se aprenderes a gostar de praticar deporto e a ter um estilo de vida saudável. É aos poucos que se avança e não de uma vez só.